Resenha: As cortes do infinito / Akemi Dawn Bowman

Resenha: As cortes do infinito / Akemi Dawn Bowman

💬 “O que aconteceria que uma tecnologia hoje muito usada conseguisse dominar o mundo e fazer de todos seus escravos?”

Resenha ✨

432 páginas // Akemi Dawn Bowman // Editora Alt
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro AS CORTES DO INFINITO, primeiro livro da série cortes do infinito, que eu recebi e li em parceria com a editora Alt.

Nami Miyamoto tem uma vida maravilhosa.
Uma família amorosa, acaba de se formar no ensino médio e seu futuro será brilhante.

Contudo, a caminho de uma festa ela acaba assass1n4da.

Quando ela “acorda”, ela descobre que está num lugar chamado Infinito, que nada mais é do que o local para onde sua consciência vai, quando seu corpo físico m0rre.

Ela percebe então, estar num lugar, onde os humanos são forçados a servidão e comandados por uma assistente virtual muito usada por humanos, mas que aqui tem o poder supremo, e se utiliza dele para fazer o que faziam por ela.

Ao perceber isso, Nami percebe que precisa fazer algo para mudar não somente seu destino, mas de toda a humanidade.

✨Confesso que comecei a história totalmente interessada por conta da premissa de uma assistente virtual tomar o poder.

Afinal, quem nunca pensou nisto? Eu mesma já tive uns pensamentos, e isto me lembrou até um pouco uma série que amo, chamada Black Mirror.

Contudo, apesar de falar muito sobre tecnologia também, as coincidências de ambas terminam ai.

No começo da história eu fiquei um tanto quanto confusa. A narrativa da autora trazia muitas informações e eu tive uma certa dificuldade em me associar a elas.

Contudo, a medida que a história foi correndo, fui me habituando a todo o universo criado.

A protagonista em alguns momentos me irritou. As atitudes que ela tomava, a maneira como ela era, foram um pouco imaturas, mas dou um crédito ao fato de quando ela m0rreu, ela estava saindo ainda da adolescência, justificando então o comportamento, mas não fez com que eu em alguns momentos torcesse por ela.

O livro fala muito sobre luto, tecnologia e sobre a vida pós m0rte.

Apesar disso, a autora conseguiu trazer para a trama um pouco de romance, o que acabou me motivando a continuar a leitura.

Um ponto positivo foram os últimos capítulos, com uma reviravolta muito interessante e que acabou me deixando curiosa para o que a próxima história irá nos trazer.

Motivos para ler: Acho que é um adeus / Alexis Daria

Motivos para ler: Acho que é um adeus / Alexis Daria

💬 “Um reencontro. Trabalhar juntos. Resistir a grande atração que os une desesperadamente.”

Motivos para ler ✨

Olá, leitores, hoje trago quatro motivos para vocês lerem o livro ACHO QUE É UM ADEUS, segundo livro da série primas poderosas, que eu recebi e li em parceria com a editora Harlequin Books Brasil.

  • Friends to love.
    Sim, aqui temos um casal que se conheceu na infância e que passados anos sem se ver, eles voltam a se reencontrar e paixão acaba acontecendo e aflorando totalmente.
  • Laços familiares.
    Se eu já havia amado a família da Michelle no primeiro livro, onde conhecemos eles através da história da sua prima, aqui eu continuei amando eles.
    Ver personagens latinos em livros americanos é sempre uma delícia.
  • A personagem principal é bem focada na carreira.
    A Michelle sempre quis ter uma carreira de sucesso, e é impressionante o quanto ela é focada nisso. A autora focou bastante nisso e eu achei bem importante.
  • O mocinho é um fofo.
    O Gabe é um querido. Impossível você não se apaixonar por ele, e não torcer para que ele seja feliz e tenha a sua segunda chance de viver esse amor com a Mich.

Bom, estes foram os quatro motivos que eu escolhi para vocês lerem esse livro e se apaixonarem pela história.

Espero que tenham gostado e até a próxima ✨.
Gostam de livros com segundas chances e friends to love?

Resenha: Paixão Inadequada // Vi Keeland

Resenha: Paixão Inadequada // Vi Keeland

💬 “Eu tinha dito que podia me ver me apaixonando por ele. E isso era mentira. Eu já estava apaixonada.”

Resenha ✨

288 páginas // Vi Keeland // Clube Essência
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro PAIXÃO INADEQUADA, que eu recebi em parceria com a editora Clube Essência, e foi lido pela colaboradora, Juh Pongeluppe.

A jornalista Ireland St. James conseguiu realizar seu maior sonho: ser a âncora de um jornal super respeitado.

Contudo, a realização deste sonho não dura muito tempo, pois, ela recebe um e-mail informando que está demitida.

O motivo? Um vídeo que ela postou em sua rede social privada, onde ela faz um t0pless numa praia paradisíaca.

Extremamente irritada e decepcionada, ela decide responder o e-mail de sua demissão, copiando ninguém menos que o CEO da emissora, o senhor Grant Lexington.

Apesar da situação um tanto quanto incomum, Grant acha aquele e-mail engraçado e acaba encantado com a ousadia daquela mulher.

Porém, um relacionamento entre eles não poderia ser nada bom.
Mas como resistir à tentação de um homem charmoso como Grant?

✨O que eu mais gosto da escrita da Vi Keeland e como ela consegue mesclar comédia com drama em todas as suas histórias.

O livro começa muito leve, com uma situação muito engraçada e que me fez de imediato já ficar vidrada na história.

Eu me apaixonei pelo Grant. Como a autora trouxe a história não só narrada pela mocinha, mas também por ele, nós temos a visão da história narrada por ele.
E o melhor de tudo, é que ela conseguiu colocar ele narrando situações que ocorreram tanto no passado, como também no futuro.
Fora que o Grant é um fofo. Ele claramente se apaixona primeiro, e foi uma delícia observar o quanto ele se envolveu por aquela mulher destemida.

A Ireland também é uma ótima protagonista. Determinada, destemida, divertida e apaixonante. Eu adorei a personalidade que a Vi Keeland criou para ela.

A escrita da autora é fluida e você nem percebe que o livro já está terminando de tão gostoso que é o desenvolvimento da trama.

Ela aborda temas como saúde mental, sistema de adoção e como os traumas acabam impactando a maneira como levamos nossa vida.

Um livro escrito de forma sensível, mas que traz um amor capaz de superar tudo.

É com certeza uma história para se apaixonar.

Resenha: Uma questão de química / Bonnie Garmus

Resenha: Uma questão de química / Bonnie Garmus

💬 “Uma mulher dos anos 1960 com opinião própria é uma receita para um desastre? Não quando se trata de Elizabeth Zott.”

Resenha ✨

384 páginas // Bonnie Garmus // Editora Arqueiro
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro UMA QUESTÃO DE QUÍMICA, que eu recebi em parceria com a editora Arqueiro, e foi lido pela colaboradora, Juh Pongeluppe.

Elizabeth Zott sabe que só o fato de ter nascido mulher, já faz com que todos os outros a subjuguem.

Sendo uma talentosa química, ela só quer fazer seu trabalho da melhor forma possível, mas, para a comunidade científica de meados de 1960, igualdade de gênero não existe.

Porém, existe uma única pessoa que consegue enxerga-lá como a mulher incrível, batalhadora e excelente profissional que é: Calvin Evans, o introvertido e brilhante pesquisador idolatrado por todo o instituto.

O amor floresce, a química entre eles é avassaladora, mas a vida é sempre imprevisível.

Os anos passam, e por uma jogada do destino, ela se torna uma estrela em ascensão.

Se tornando a maior estrela do programa de televisão mais visto do mundo, ela ensinará muito mais do que culinária e química: ela desafiara as mulheres a pensar.

✨Um dos melhores livros que li no ano e em toda a minha vida.

Essa história é absolutamente primorosa.

Acompanhar como a mulher, ainda mais sendo cientista na década de 1960 é tratada, para nós que vivemos mais de 60 anos depois, chega a ser impressionante e triste.

Mas, não pense ser um livro triste e que te deixará depressivo, pois, ele não é. A maneira como a autora conseguiu abordar um tema tão sério como este, com a leveza com que ela retratou é impressionante.

A Elizabeth foi uma personagem revolucionária, afinal, ela descobriu uma forma de ensinar as mulheres muito mais do que química e cozinhar, mas sim, a pensar que elas são muito mais do que os homens a julgavam.
Ela foi uma guerreira durante toda a história, sem se deixar abalar, e superando tudo e todos.

Além disso, eu me apaixonei pelos personagens secundários. O Calvin é um mocinho muito bacana, apesar de todo o seu jeito peculiar de ser.
E como não amar a Madeleine? Que criança mais fofa e divertida! Ela trouxe mais leveza ainda para a trama.

A crítica que a autora fez a sociedade é impressionante. Retratando temas como o machismo, a desigualdade entre os gêneros, os abusos que nós sofremos apenas por sermos mulheres entre outros, foram tratados de forma muito responsável, e que nos leva a pensar, que apesar de já termos evoluído muito como sociedade, a luta das mulheres para serem ouvidas segue sendo importante e necessária até hoje.

É um livro que eu confesso que não estava dando nada, mas que entregou absolutamente tudo.
Portando, recomendo essa história de olhos fechados, pois, sei que todos que a conhecerem, vão entender o motivo dele ter sido uma das minhas melhores leituras da vida.

Resenha: Leitura de verão / Emily Henry

Resenha: Leitura de verão / Emily Henry

💬 “Polos opostos se atraem mesmo?”

Resenha ✨

364 páginas // Emily Henry // Verus Editora
Olá leitores, hoje trago a resenha do livro LEITURA DE VERÃO, que eu recebi em parceria com a editora Verus, e foi lido pela colaboradora, Juh Pongeluppe.

January Andrews é uma aclamada escritora de romances, onde, todos os livros que escrevem tem finais felizes.

Porém, ela sempre escreveu livros assim, pois, para ela, a vida era perfeita.

Contudo, parece que tudo aquilo que ela sempre acreditou não era bem da forma como pensava.

Para lutar contra um bloqueio criativo e tudo o que está passando, ela se muda para um novo lar.

Entretanto, ela não contava, que se novo vizinho fosse ser um homem que ela conhecia da época da faculdade e nunca se deu muito bem.

Ainda mais, porque ele já escreve livros de um gênero oposto.

Quando durante uma noite nebulosa eles decidem fazer um acordo, onde, ambos vão sair de suas zonas de conforto e escrever um livro do gênero do outro, eles não imaginavam que desta história, iriam descobrir bem mais sobre si mesmos do que acreditavam conseguir.

✨Confesso que comecei o livro acreditando ser mais um clichê fofinho, onde tudo desse certo, e onde os personagens tivessem o seu final feliz, sem muito a acrescentar.

E o melhor de tudo, foi que a história conseguiu me surpreender.

Mais do que um livro onde o casal é enemies to love, essa história para mim, mostrou a importância de não levarmos tudo “ao pé da letra”, mas também, para aprendermos a ver o lado bom da vida.

O January foi uma personagem que cresceu e me surpreendeu demais durante a história. Eu particularmente adoro ver o personagem se descobrindo realmente, e vendo que nem tudo precisa ser sempre perfeito, para que sejamos felizes.

E do outro lado, temos o Augustus, que aprendeu que existe amor e felicidade em muitas coisas na nossa vida.

O livro tem uma narrativa rápida, os personagens me cativaram logo no início, e apesar de sentir falta de ter momentos narrados pelo protagonista masculino, ainda assim, consegui perceber tudo o que ele evoluiu também durante a história.

O romance dos dois é construído gradativamente, e consegui me conectar muito com as cenas, me divertindo, mas também me emocionando em alguns momentos.

Então, considero que todo o hype do livro é merecido, pois, de fato para mim é um livro que merece todos os elogios, pois é uma história verdadeiramente boa.