Resenha: Destinada ao grego / D. A. Lemoyne

Resenha: Destinada ao grego / D. A. Lemoyne

✨ “Eu preciso de um milagre também. E de segundas chances, principalmente, mas além de tudo, eu preciso ter coragem para contar ao pai do meu filho quem sou.
Isso mesmo. Terei que revelar minha identidade não mais a Dionysus, o chefe, namorado, amante. Ele é tudo isso também, mas é, principalmente, o pai do bebê que estou esperando.”

Resenha ✨

393 páginas // D. A. Lemoyne
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro DESTINADA AO GREGO: A BABÁ É O VIÚVO PROIBIDO, segundo livro da série Irmãos Kostanidis, que eu li em parceria com a autora, D. A. Lemoyne.

Harper Cecily Bradley, ou Cici, como todos a chamam, sabe que precisa muito agradecer por estar viva depois de tudo o que passou.

Mas, ela usará está nova chance para cumprir uma missão importantíssima, para isso, ela sai do Kansas e vai para Nova York determinada a entrar na vida do grego Dionysus Kostanidis. Ela só não contava que fosse começar a nutrir um sentimento por um homem proibido para ela.

Dionysus Kostanidis é um homem implacável. É um magnata e pertence a uma família milionária e muito influente.

Pai solo e viúvo, decidiu que jamais se casaria novamente. E não por amar sua falecid4 esposa, mas simplesmente por não querer ter compromisso sério com nenhuma outra mulher.

Porém, ele não estava preparado para o intenso desejo que passa a nutrir pela babá de seu filho. É muito menos que ela faria despertar nele o desejo que ela fosse somente dele.

Mas Cecily guarda um segredo que pode por tudo a perder.

✨Eu estava super ansiosa pela história do Dionysus. E posso adiantar que o livro entregou tudo o que eu mais amo num romance.

Eu já havia dito para vocês nas minhas primeiras impressões que eu amo esse clichê chefe e babá. Mas, não foi somente isso que fez com que eu amasse a história.

Eu adorei a personalidade da Cecily. Ela é doce, meiga e apesar de manter seus segredos, eu amei o quanto ela foi fiel ao que acreditava e como foi capaz de tudo para cumprir sua missão.

E o Dionysus… ai ai ai eu amo mocinho com ares de arrogante e que não quer se apaixonar, mas que acaba totalmente apaixonado sem perceber.

Eu amei as interações entre o casal também. Eles são muito intensos e as cenas hot são absolutamente tudo na minha vida. É sério, eu amo essas duas frases possessivas “você é minha / sou sua”, e tinha um mini infarto cada vez que elas eram ditas.

Além disso, a história possui muitos segredos e muitas reviravoltas. Confesso que a maioria delas me deixou totalmente chocada e foram totalmente inesperadas.

Eu amei as interações entre o casal, mas não somente isso, mas também a presença dos personagens de outros livros da autora.

Portanto, se você quer um romance arrebatador, com um casal destinado a ficar junto, e que fará seu coração bater acelerado e se apaixonar, vai amar este casal.

Resenha: O bosque das coisas perdidas / Shea Ernshaw

Resenha: O bosque das coisas perdidas / Shea Ernshaw

✨ “Quando dorme, a floresta lhe permitirá uma passagem segura. Mas, se despertada, esteja preparado para correr.”

Resenha ✨

368 páginas // Shea Ernshaw // Galera Record
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro O BOSQUE DAS COISAS PERDIDAS, que eu recebi e li em parceria com a editora Galera Record.

Todos que vivem na cidade de Fir Haven sabem que a floresta tem muitos mistérios. Alguns dizem que ela é mágica. Outros, que é assombrada.

Contudo, quando a jovem Nora Walker recebe como um chamado para ir até à floresta, ela jamais imaginou o quanto sua vida iria mudar.

Afinal, por fazer parte de uma longa linhagem de bruxas, a floresta a leva de encontro a Oliver Huntsman, um garoto que desapareceu numa das maiores nevascas dos últimos anos.

Ele deveria estar morto, mas foi encontrado vivo na floresta, sem qualquer lembrança do que aconteceu enquanto esteve desaparecido.

Mas Nora pode sentir a presença de Oliver despertando a floresta, e não demora até perceber que, para manter as árvores adormecidas, ela precisará descobrir como o garoto a quem se apegou tão profundamente sobreviveu na floresta, e o que o levou até lá em primeiro lugar.

O que Nora não sabe, porém, é que Oliver tem os próprios segredos ― segredos que fará de tudo para manter ocultos, porque parece que ele não foi o único a desaparecer naquela fatídica noite, duas semanas atrás…

✨Eu havia lido outro livro da autora lançado pela editora no ano passado, e quando vi que iriam lançar este, eu fiquei super empolgada.

Começa que a narrativa já se inicia bem enigmática. E foram os segredos que tanto a floresta, quanto o Oliver esconde, que me mantiveram motivada durante toda a história.
Eu fiquei extremamente presa na trama, muito por conta dos mistérios, e a cada página e capítulo lido, mais curiosa eu ficava.

Apesar de ter uma narrativa diferente da outra história, este livro me surpreendeu positivamente.

Eu me apeguei demais aos personagens. A Nora foi uma mocinha incrível! O fato dela não desprezar sua cultura e nem sua descendência bruxa, foi algo muito importante durante a história. Normalmente em histórias do tipo, a protagonista tenta de todas as formas negar suas origens e isto não ocorreu a Nora.
Ela foi uma protagonista forte, destemida, inteligente e muito leal. Eu adorei demais ela.

E o Oliver, bom… eu fiquei com receio em alguns momentos, mas durante a narrativa fui conhecendo melhor ele e aprendi a gostar muito dele também.

O livro é bem fluido, rápido de ler, e mistura fantasia, mistérios, romance e cenas que me deixaram até apreensiva, mas com aquele frio na barriga gostoso.

Portando, se você quer uma fantasia original, bem fluida e com personagens cativantes, vai adorar essa história.

Resenha: Uma última dança, milady? / Megan Maxwell

Resenha: Uma última dança, milady? / Megan Maxwell

✨ “Para os desejos do coração não há limite: nem o tempo.”

Resenha ✨

416 páginas // Megan Maxwell
Olá leitores, hoje trago a resenha do livro UMA ÚLTIMA DANÇA, MILADY?, que eu recebi em parceria com a editora Clube Essência, e foi lido pela colaboradora, Juh Pongeluppe.

Celeste é a típica mulher moderna. Ela vive intensamente, adora frequentar baladas, postar muito nas redes sociais, se relacionar com vários homens sem compromisso…, ou seja, aproveitar ao máximo os avanços do século XXI. Com sua melhor amiga, Kimberly, ela desbrava a cidade de Madri em busca de diversão como se não houvesse amanhã.

Quando Kimberly volta para Londres, Celeste decide ir junto, em busca de novas aventuras. Porém, quando ela se instala na mansão secular de sua amiga, ela não imagina que encontrará um segredo que pode virar sua vida de cabeça para baixo. De repente, Celeste e Kimberly embarcam em uma viagem no tempo que as transporta para a Londres da época da Regência. Lá, as amigas terão que se adaptar a uma realidade completamente distinta: passarão a viver cercadas de bailes luxuosos, regras de etiqueta e costumes antiquados… Tudo isso garantindo que seus disfarces nunca sejam descobertos.

Mas o que Celeste não esperava era se encantar por um autêntico duque, um homem misterioso, dono de um sorriso deslumbrante e um olhar inesquecível. Será que ela vai conseguir resistir ao que seu coração deseja?

✨Quem não gosta de uma história com viagem no tempo? Bom, eu adoro.

E quando li a sinopse da história, fiquei bem curiosa sobre como a autora iria desenvolver uma mocinha que viveu no século XXI, com todas as tecnologias e avanços na forma de pensar e agir que ocorreram ao longo dos anos, ser transportada para o século XVIII e conseguir se adequar à época.

Bom, a autora conseguiu fazer uma história divertida, em especial as cenas das personagens Celeste e Kim estão juntas.

Porém, apesar de ter gostado dos livros, alguns pontos acabaram me incomodando.

Não é a primeira vez que tenho problemas com as mocinhas da autora. Eu acho que a idade e o jeito de ser acabam não sendo condizentes. A Celeste em alguns momentos teve atitudes imaturas e que eu entendo que a cabeça dela por ter vivido no século XXI difere, mas certos momentos eu achei ela com atitudes excessivas.

Além disso, o início do livro foi um pouco lento. Até acontecer a viagem no tempo, o livro acabou demorando um pouquinho para engrenar, mas depois deste primeiro momento ele engrenou e acabou ficando divertido.

O casal tem uma química interessante e apesar de ter um final feliz, eu confesso esperar algo diferente. Não atrapalhou a leitura, no entanto, mas talvez eu tenha criado uma expectativa maior do que verdadeiramente foi.

Mas, apesar do que citei acima, é uma história que pode ter um significado diferente para cada leitor. Portanto, recomendo que leia e tire suas próprias conclusões sobre a história.

Série Elementos // Brittainy Cherry

Série Elementos // Brittainy Cherry

Olá, leitores.
Estou passando aqui hoje para falar do box da série elementos de uma das minhas autoras favoritas da vida: a Brittainy C. Cherry.

E claro, não poderia deixar de mostrar para vocês essas novas capas, que eu particularmente amei.

O ar que ele respira, A chama dentro de nós, O silêncio das águas e A força que nos atrai, que retratam histórias difíceis e traumáticas, para as quais o único remédio é o amor. As ilustrações das capas são assinadas por Carmell Louize, que colaborou com o kit Hopeless, da Colleen Hoover.

O ar que ele respira (308 páginas)

Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, Elizabeth decide voltar a seu antigo lar e reviver as lembranças de seu casamento feliz. A dor da perda ainda a consome, mas ela encontra em sua filhinha a força de que precisa para recomeçar. Ao retornar à pequena Meadows Creek, ela chega à conclusão de que tudo continua igual, ou melhor, quase tudo. Seu novo vizinho, Tristan Cole, é o cara mais falado da cidade, porém todos o evitam. Grosseiro, solitário, de olhar triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth descobre que, por trás daquela fachada, há um homem devastado, em cujo coração despedaçado não há espaço para um novo começo. Ou há?

A chama dentro de nós (350 páginas)

Logan e Alyssa não têm nada em comum. Rejeitado pelos pais, ele passa os dias contando as moedas para pagar o aluguel. Ela, filha de uma advogada controladora e um músico, tem um futuro brilhante pela frente. Os dois vivem em mundos distintos, mas, um dia, um simples gesto dá origem a uma improvável amizade. Ao longo dos anos, o sentimento que os une se fortalece e se transforma em uma atração a qual nenhum dos dois consegue resistir. Mas uma tragédia promete separá-los para sempre. Seriam as reviravoltas do destino e as feridas do coração capazes de apagar a chama que há dentro deles?

O silêncio das águas (350 páginas)

Com apenas 10 anos, Maggie May já tem certeza de que se casará com Brooks Griffin, o melhor amigo de seu irmão. Ele foge dela a todo custo, mas, no fundo, até que gosta daquela garota irritante, que vive dando risadinhas atrás dele. Porém, Maggie presencia um acontecimento aterrorizante à margem de um rio, e o trauma é tão grande que ela acaba perdendo a voz. Ao longo dos anos, Maggie aprende a conviver com os ataques de pânico e, sem conseguir sair de casa, encontra refúgio nos livros. A única pessoa capaz de compreendê-la é Brooks, que está sempre ao seu lado. A paixonite da infância se transformou em amor. Mas será que o forte sentimento que os une poderá resistir a um acontecimento inesperado, que os forçará a navegar por caminhos diferentes?

A força que nos atrai (294 páginas)

Graham Russell é um homem atormentado, fechado para o mundo. Casado com Jane, em um relacionamento conveniente, mas sem amor, ele vê sua vida virar de cabeça para baixo quando sua filha nasce prematura e corre risco de morte. Aturdida, Jane abandona a filha e o marido, e Graham precisa criar a criança sozinho. Porém, uma reviravolta do destino coloca Lucy em seu caminho. Apaixonada pela vida, falante e intensa, ela é o oposto de Graham e, sensibilizada com o estado de saúde de Talon, se oferece para ajudar. Mas Graham tem motivos muito fortes para não querer Lucy em sua rotina.

Resenha: A bela e o highlander / Alexia Cornwall

Resenha: A bela e o highlander / Alexia Cornwall

✨ “- Durante toda a minha vida as pessoas me disseram o que eu deveria ou não deveria fazer. Elas acham que sou limitada, frágil demais, estranha demais, arruinada pelas cicatrizes. – Ela colocou o dedo no peito dele. – Eu sou mais forte do que você pensa, e mais inteligente também. E quanto ao que eu mesma quero para mim? Não posso ter sonhos ou… prazer? Alasdair Og Sinclair, não beije uma moça e depois a proíba de ter mais, sendo que é culpa sua eu gostar de beijos.”

Resenha ✨

350 páginas // Lecia Cornwall
Olá, leitores. Hoje trago a resenha do livro A BELA E O HIGHLANDER, que eu recebi e li em parceria com a editora Verus.

Dair Sinclair é filho do chefe de um dos principais clãs escoceses. Porém, após uma viagem marítima, ele foi capturado e cruelment3 torturad0.

Agora, ele possui não somente cicatr1zes eu seu corpo, mas também um trauma enorme, que o fez ficar conhecido por todos como o Louco de Carraig Brigh.

Desesperado para curar seu filho, o pai de Dair procura por qualquer pessoa ou coisa que faça com que ele se recupere.
Quando uma profecia misteriosa o orienta a procurar uma virgem, ele decide ir atrás desta mulher.

Fia MacLeod já se conformou que nunca irá se casar e nem viver uma intensa paixão. Afinal, mesmo sendo muito bonita, devido a uma situação do passado, ela além de possuir marcas em seu corpo é também manca. Porém, seu jeito doce de ser, acaba conquistando a todos, além de possui jeito parar tratar animais feridos.

Quando ela é levada junto a sua irmã para a casa de Dair, ela não espera o que encontrara lá, e muito menos se acha apta a tratar dele.

Mas, a medida que passam a conviver, uma forte atração acaba surgindo, fazendo com que ambos passem a nutrir não somente isto, mas uma paixão avassaladora.

✨Comecei o livro sem saber o que me esperava, e fui somente fisgada pela sinopse, que me lembrou muito uma releitura de bela e a fera.

E confesso que adorei o livro.

A escrita da autora é bem fluida. Eu comecei o livro com a expectativa de ler 50 páginas por dia e quando vi em poucas horas já havia passado da metade da história. E daí para o final, foram menos de 24 horas.

A Fia tem um brilho próprio. Ela tem muito mais do que o dom de cuidar de animais feridos. Ela encanta a todos com seu jeito simples, modesto e meigo de ser. Até porque cresceu sendo como uma sombra de suas irmãs e nunca esperando viver uma intensa paixão. Mas quando ela se vê ali nos braços do Dair, ela se entrega de corpo e alma.

E o Dair é aquele mocinho que você não espera nada, mas que entrega intensidade e sensualidade. Eu adorei ver como ele foi superando seus traumas ao longo do livro e foi se deixando “enfeitiçar” pelo magnetismo da Fia.

Além disso, é uma história ambientada na Escócia, e quem não ama um romance de época ambientado ali? Eu sou suspeita, pois adoro.

Então, se você quer um livro rápido de ser lido, com uma mocinha meiga e um mocinho meio turrão, mas que faz você se apaixonar, vai adorar a história.